Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

Ducati Monster: fotos, detalhes, motor, gerações, etc

A Ducati Monster é uma naked esportiva de visual e pilotagem agressivos, com muita fama na Europa e outros países, sendo uma opção ousada para quem busca emoção e destaque no trânsito.

A Monster está no mercado nacional há bastante tempo e chegou a ser uma alternativa emocionante e economicamente viável em relação à famosa Honda CB 600F Hornet.

Famosa por seu motor V2 com comandos de válvulas desmodrômicos, assim como quadro treliçado devidamente vermelho e linhas bem expressivas, a Monster variou aqui de 600 cm³ a 1.200 cm³.

Os modelos Monster 696 e 796 foram os mais famosos, especialmente porque na época tinham preços realmente competitivos se comparados com a atualidade, onde a Nova Monster 937, busca seu lugar ao sol.

Esta última é uma tentativa da Ducati de voltar ao segmento de média cilindrada, visto que a Monster 1200 passava bem longe da proposta original do produto. Ainda assim, está fora da faixa das antigas versões.

Ducati Monster – novidades

A Nova Ducati Monster 937 quebra muitas das características intrínsecas da naked italiana, devidamente produzida em Manaus, Amazonas.

Logo de cara, a Monster 937 rompe com o passado com um novo quadro em concepção de sub-chassi, construído em GFRP (Glass Fiber Reinforced Polymer, ou Polímero Reforçado de Fibra de Vidro).

É uma estrutura menor e mais leve que o quadro treliçado de aço que sustentava o motor V2 da Monster, ajudando muito no desempenho, porém, mata o estilo característico da motocicleta da Ducati.

As mudanças na Monster 937 foram além e até o motor Testastretta 11º teve que receber alterações, inclusive no visual do mesmo, modificado com capas para fundi-lo com o sub-chassi e o resto da moto.

Com visual fusionado, o propulsor V2 se apresenta com duas saídas de escape fundidas e com duas ponteiras sobrepostas cortadas.

Tendo farol full LED ovalizado com luzes diurnas envolventes e individuais, a Monster 937 exibe ainda um cluster 100% digital.

Apresentando um tanque de combustível estilizado, assim como banco em dois níveis, rabeta curva, suspensão traseira monoamortecida e discos de freio generosos, com sistema ABS.

Com suspensão dianteira invertida, a Monster 937 tem um comportamento de pista e modos de condução, de tração e estabilidade.

Seu motor V2 Testastretta 11º tem 937 cm³ e refrigeração líquida, com duplo comando desmodrômico, que não possui molas nas válvulas e garante ajustes mecânicos somente a cada 30.000 km.

Com alta capacidade de giro, o V2 tem injeção eletrônica e entrega 111 cavalos a 9.250 rpm e 9,5 kgfm a 6.500 rpm, funcionando com câmbio de seis marchas com embreagem deslizante.

A Nova Monster tem ainda troca de marchas rápidas sem uso de embreagem e controle de mudança de posição nas curvas.

Ducati Monster – detalhes

A Ducati Monster 937 tem farol full LED com luzes diurnas em LED individuais, sustentado por uma suspensão dianteira telescópica com bengalas invertidas, tendo sistema de freios Brembo M4 com ABS.

Na roda de liga leve dianteira, com pneus 120-70 R17, tendo ainda para-lama curto e aerodinâmico.

Os dois discos ventilados de freio têm 320 mm e com pinças monobloco M4 de quatro pistões em cada disco.

Com sub-chassi de GFRP (Glass Fiber Reinforced Polymer, ou Polímero Reforçado de Fibra de Vidro), a Monster tem cluster digital em TFT com tela de 4,3 polegadas, tendo diversos modos de tela.

Já o guidão é cônico com comandos de faróis, piscas, partida, corta-corrente, pisca-alerta, modos de condução e tração, acelerador, embreagem, retrovisores, entre outros.

O tanque de combustível tem 14 litros com bocal aeronáutico, enquanto os dois assentos ficam em níveis diferentes, com lanterna em LED integrada à rabeta curta, com para-lama projetado com piscas em LED e luz de placa em LED, além de refletor.

Já a suspensão traseira tem balança monoamortecida com amortecedor horizontal, assim como a mola helicoidal, com braços bifurcados e roda aro 17 polegadas com pneu 180/55 ZR17.

O conjunto tem coroa com corrente protegida, assim como pinhão, além de disco de freio ventilado com 245 mm e pinça de freio Brembo M4 com pistão único e sistema ABS.

As pedaleiras do garupa e piloto sustentadas por suportes em GFRP, com o motor V2 Testastretta 11º com coberturas estilizadas, assim como sub-chassi aparente imitando fibra de carbono.

À frente dele fica o radiador horizontalizado para refrigeração do motor e sem proteção do dispositivo, tendo logo acima, no sub-chassi, as luzes indicadoras de direção.

O escape tem duas saídas nos cabeçotes e se unificam em um silencioso com catalisador, mas tendo duas saídas novamente com ponteiras sobrepostas ao lado da roda traseira.

Com mesa de suspensão dianteira fixa, a Ducati Monster tem ainda ajustes de pressão do amortecedor na suspensão traseira, assim como também na dianteira.

Os pedais tem ajustes para o piloto, sendo eles recuados e retráteis para rasparem no chão, assim como os do garupa são elevados. Há um descanso lateral

Ducati Monster – equipamentos

Ducati Monster 937 – Motor V2 de 937 cm³, injeção eletrônica, partida elétrica, rodas de liga leve aro 17 polegadas, pneus 120/70 ZR-17 na frente e 180/55 ZR17 atrás e freios a disco ventilados de 320 mm na frente e 245 mm atrás.

Freios ABS da Brembo M4, suspensão dianteira invertida, modos de condução, farol full LED, piscas em LED, lanterna em LED, escape duplo, cluster digital, entre outros.

Ducati Monster – preço

Qual o valor de uma Ducati Monster?

  • Ducati Monster 937 – R$ 86.990

Ducati Monster – motor

A Ducati Monster tem motor V2 Testastretta 11º de 90 graus, tendo quatro comandos de válvulas desmodrômicos, com quatro tempos e refrigeração líquida, além de injeção eletrônica multiponto.

Sustentado por sub-chassi em GFRP, o propulsor tem 937 cm³ e diâmetro x curso de 94 mm x 67,5 mm, entregando 111 cavalos a 9.250 rpm e 9,5 kgfm a 6.500 rpm.

O câmbio cíclico de seis marchas e embreagem multidisco em banho de óleo, com sistema deslizante.

Ducati Monster – desempenho e consumo

A Ducati Monster tem uma excelente desempenho com três modos de condução, sendo eles Sport, Urban e Touring, tendo ainda controle de tração e estabilidade, controle de mudança de posição e gerenciamento do motor com modo individual.

Com seu V2 Testastretta de 90 graus com 111 cavalos, a Ducati Monster 937 vai de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos com velocidade final de 226 km/h.

O consumo médio, segundo a Ducati, é de 19,2 km/l, não sendo especificado o consumo na cidade e nem o de estrada.

  • Ducati Monster 937 – 3,5 segundos e 226 km/h
  • Ducati Monster 937 – 19,2 km/l

Ducati Monster – gerações antigas

A Ducati Monster é um produto que nasceu em 1993, mas ao longo dos anos, evoluiu sem perder as características agressivas associadas com a marca italiana.

No Brasil, a Monster chegou em 2002 com a poderosa S4 916, que foi seguida pelas Monster 1100 e 1100 S, quando então a produção nacional considerou um modelo menor, a Monster 696.

Esta foi bem popular no Brasil e tinha um preço realmente competitivo de R$ 31.990, sendo mais barata que a Hornet na época, apesar de ser bem menos potente.

As únicas Monster que poderiam rivalizar com a super naked da Honda eram as S4 e 1100 importadas da Itália, porém, antes da 696.

Depois disso, a Ducati do Brasil começou a fazer a 796, seguida da 821 e finalmente com a 797, quando encerrou sua participação no segmento de média cilindrada.

A partir daí, por volta de 2020, a Ducati partiu para a Monster 1200 e 1200 S, voltando para o segmento de alta cilindrada até 2022, quando a Nova Monster 937 reposicionou a naked italiana novamente.

Esta última é a única Monster sem quadro treliçado e sem monobraço na suspensão traseira, sendo a moto atual da marca italiana no Brasil.

Ducati Monster S4 916

Foi a primeira Ducati Monster oficialmente no país, sendo ela importada da Itália e com missão de combater os modelos de 1000 cilindradas da época no Brasil.

Com o clássico V2 Testastretta de 916 cm³, tendo refrigeração líquida e os comandos desmodrômicos, tendo ainda injeção eletrônica, entregando 101 cavalos a 8.750 rpm e 9,35 kgfm a 7.000 rpm.

Tendo câmbio de seis marchas, a Monster S4 916 tinha rodas de liga leve aro 17 polegadas com pneu dianteiro de 120/70 ZR17 e pneu traseiro 180/55 ZR17, mesmas medidas da geração atual.

A suspensão dianteira era invertida com amortecedores da Showa, assim como a suspensão traseira, com balança monoamortecida. As pinças de freio eram da Brembo.

Com freios a disco ventilados de 320 mm (2) e um traseiro de 245 mm, a Monster S4 916 tinha quadro treliçado e amortecedor de direção externo, além de capa sobre o assento do garupa.

Ducati Monster 696

Streetfighter, a Ducati Monster 696 surgiu para tocar fogo no segmento de média cilindrada e chegou ao Brasil em 2009, tendo sido lançada na Itália no ano anterior.

Assim como a 1100, a Monster 696 tinha dois escapamentos elevados, mas o design da moto já era mais moderno, especialmente banco duplo e tanque de 15 litros.

Pesando 161 kg, a Monster 696 tinha um V2 de 90 graus com comandos desmodrômicos e injeção eletrônica, mas com refrigeração a ar.

Entregando 78,9 cavalos a 9.000 rpm, a Monster 696 tinha 5,2 kgfm, dispondo de câmbio de seis marchas e embreagem multidisco banhada a óleo com sistema deslizante.

Apesar de ser menor em volume, mantinha os freios da Monster 1100, assim como outros dispositivos da irmã maior.

Ela foi uma rival em preço da Hornet, sendo uma motocicleta premium e descolada, com uma performance agressiva.

Ducati Monster 796

Em 2013, a Ducati Monster 796 iniciou sua montagem em CKD na cidade de Manaus, reduzindo assim seu custo para continuar competitiva.

Com motor L2 a ar, chamado Desmodue, a naked da marca italiana entregava 87 cavalos e se enquadrava na classe das médias nessa faixa de potência.

Tendo seis marchas e suspensão traseira monobraço, a 796 tinha ainda farol duplo de LED em lente ovalizada, além do quadro de treliça e banco individual.

Também tinha tanque com molduras estilizadas, assim como capa do cluster, suspensão dianteira upside down e freios Brembo com ABS.

Assim como a 696, a Monster 796 também foi oferecida na cor branca e o preço em 2013 partia de R$ 37.900.

Ducati Monster 797

No final de 2019, a Ducati Monster 797 chegou com visual bem moderno, servindo como modelo de acesso da linha Monster, que já contava com a versão 1200 e a mais potente 1200 S.

Com o Desmodue de 797 cm³, a Monster 797 mantinha a refrigeração a ar e os comandos desmodrômicos, tendo ainda injeção eletrônica e mapeamento diferenciado da ECU.

Ela chamava atenção pelo uso do quadro Trelis, que era também treliçado, porém, com design diferenciado, sendo mais curvado sobre o motor V2.

Aliás, este resgatava o escape duplo com canos unidos ao lado do motor, mas com silencioso pequeno e curto.

Com 75 cavalos a 8.250 rpm, a Monster 797 tinha um bom desempenho e ainda tecnologia de ponta, como os freios Brembo M4 com ABS e suspensão traseira monoamortecida, mas não monobraço. Ela custava R$ 41.900.

Ducati Monster 821

No final de 2015, a Ducati Monster chegou ao modelo 821, que usava o motor V2 Testastretta 11º com 803 cm³, não reproduzindo a nomenclatura e com refrigeração líquida.

Deve-se lembrar que na época a Monster 1200 e a 1200 S eram vendidas também no mercado nacional.

A Monster 821 tinha refrigeração líquida, entregando 112 cavalos a 9.250 rpm e 9,1 kgfm a 7.750 rpm.

Ducati Monster 1100 e 1100 S

Com o fim da produção da S4 916 em 2007, a Ducati Monster 1100 assumiu a posição com o V2 de 90 graus com 1.078 cm³, que tinha uma calibração diferente por conta das emissões.

Mantendo o visual clássico, a Monster 1100 chegou com a pintura Ducati Red, assim como com seu quadro treliçado vermelho, além de farol grande e redondo.

Também tinha suspensão dianteira invertida e traseira monobraço, com freios Brembo e sistema ABS.

O motor V Twin entregava 93,6 cavalos a 7.500 rpm com torque de 7,7 kgfm, além de câmbio de seis marchas com embreagem deslizante, evitando assim o travamento de roda em redução.

A importação da Ducati em 2010 trouxe ainda a Ducati Monster 1100 S, que tinha como diferenciais a suspensão dianteira invertida com amortecedores da Öhlins, rodas aro 17 polegadas em dourado e peças em fibra de carbono.

Ducati Monster 1200 e 1200 S

Em abril de 2015, a Ducati Monster 1200 chegou ao mercado nacional como uma substituta da 796, tendo também o V2 desmodrômico ampliado para 1.198 cm³ seu volume.

Com preço de lançamento promocional de R$ 59.900 na época, a 1200 chegou com seu V2 em “L” com 90 graus, entregando 135 cavalos e 12 kgfm no caso da Monster 1200.

Bem mais potente que a anterior 1100, a 1200 usa o motor da Multistrada, que recebeu modificações para atuar na Monster, com proposta de maior desempenho.

Ela trazia mapas de potência, além de controle de tração e freios Brembo com sistema ABS.

Já a Monster 1200 S tinha como principal diferencial o aumento de potência, chegando a 145 cavalos a 8.750 rpm e torque de 12,7 kgfm a 7.250 rpm, mesmas rotações da 1200.

Pesando 209 kg, a Ducati Monster 1200 tinha tanque de combustível de 17,5 litros, com a 1200 S tem suspensão dianteira Öhlins, detalhes de carbono e chassi treliçado de cor branca.

Sofisticada e importada da Itália, a Monster 1200 permaneceu em linha até 2021, já com motor “L2” calibrado para entregar 147 cavalos, a naked italiana foi localizada no Brasil durante sua estada no país.

Ducati Monster – fotos

Via Notícias Automotivas https://ift.tt/vtVpkPT

source https://antoniocunhalima.blogspot.com/2022/09/ducati-monster-fotos-detalhes-motor.html

Publicado por Antônio Cunha Lima

Olá, meu nome é Antônio Cunha Lima, tenho 47 anos e sou de Contagem, Minas Gerais. Sempre procuro aprender coisas novas para manter meu cargo protegido e dirigir tranquilo com minha família.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: