Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

Limousine: origem, modelos, história, tipos, detalhes

Os carros do tipo limousine já foram apenas para aqueles extremamente ricos. Agora, já são veículos usados em festas e eventos, muito longe do glamour do início de sua história, no começo do século XX.

Tendo surgido com os primeiros automóveis comuns, a limousine foi um tipo de carro criado para atender aqueles que tinham maior poder aquisitivo e assim poderiam pagar para ter um motorista particular.

Geralmente, os carros abertos ou de cabine única, não permitiam certa privacidade dos ocupantes em relação ao condutor, que assim poderia ouvir a conversa dos patrões.

Com o tempo e um vidro a separá-los, a limousine foi evoluindo para um carro muito maior que os clássicos do início do século passado, passando a veículos extremamente longos e com vários assentos.

Muito popular nos EUA e em outras regiões, a limousine permaneceu como um carro de ricos e de importantes executivos por várias décadas até virar carro de pura diversão.

Limousine – detalhes

Basicamente uma limousine é um carro de chassi alongado com espaço para quatro pessoas ou mais, mas isso varia de acordo com a proposta, época de fabricação e mesmo região onde foi produzido.

Com vários tipos e modelos, a limousine pode ter aparência variada, com carroceria tendo seis portas até e com estilo indo mesmo ao segmento que deveria passar longe, o de SUVs.

Ser obrigatoriamente sedã não é uma regra e até peruas (com até oito portas, por exemplo), além de picapes, já tiveram ou ainda tem unidades de limousine.

Valendo a criatividade, já se viu de tudo, desde hatchbacks até veículos que possuem piscina a bordo e vários eixos, tudo para chamar atenção do público e da mídia.

Praticamente toda limousine tem assentos muito confortáveis e ajustáveis, com bancos adicionais, seja em sentido inverso ou lateral, tendo obrigatoriamente um frigobar.

O vidro elétrico que separa motorista dos passageiros é outro item que não pode faltar numa limousine, mantendo assim a privacidade de quem vai atrás.

Com conjunto completo para bebidas e pequenas refeições, o interior desse tipo de veículo também apresenta iluminação configurável, assim como sistema de som potente.

O teto solar elétrico é outra comodidade de quem vai atrás, aumentando o prazer a bordo.

Para falar com o motorista, geralmente há um intercomunicador ou acionar do vidro interno. Muitos couro, detalhes cromados, alumínio, camurça, tapetes felpudos e todo tipo de coisa que se possa colocar, pode ir numa limousine.

Com visual exterior dotado de vidros escurecidos ou espelhados, rodas cromadas e cores discretas, a limousine é um dos carros mais divertidos que existem, porém, não exatamente para dirigir…

A descrição acima se aplica muito aos carros destinados ao entretenimento, seja em festas, eventos ou aluguéis particulares, mas existem outras propostas para limousines.

Entre elas estão as construídas para executivos, com mesas de trabalho e comunicação direta com a empresa, geralmente levando duas pessoas ou quatro pessoas.

Também existem carros com várias portas e bancos em sentido como de um ônibus e, nem por isso, são considerados carros baratos.

A limousine também pode ser um carro oficial de chefes de estado, chegam do mesmo a ter blindagem militar e, no caso americano, até uma estação a bordo para pequenas cirurgias.

Um Mercedes-Benz de seis portas, por exemplo, construído pela própria marca, chegou a rodar por um bom tempo após sofrer ataque terrorista com um morteiro, que atingiu o cofre do motor…

Ainda na Europa, já que o fato ocorreu no leste europeu, a limousine é também uma designação de sedã para alguns fabricantes, geralmente de luxo.

Limousine – tipos

A limousine basicamente tem dois tipos, sendo um chamado de Strech e outro de Novelty, ambos com definições que parecem entrelaçar-se, mas é assim que são definidos.

Eles também retratam a cultura de duas regiões muito específicas, sendo elas Europa e EUA, respectivamente.

Nos dois tipos, o vidro que separa o posto do motorista do salão de passageiros é uma característica, sendo esse de acionamento elétrico para comunicação com o motorista, que também podem ser feito por um intercomunicador.

Stretch limousines

Esse tipo de limousine é chamado “stretch”, ou seja, estirado ou alongado em relação às limousines tradicionais, sendo feito para caber mais passageiros no salão interno, incorporando bancos laterais em formato de sofá.

Também tem bar completo com frigobar, suporte para garrafas, copos e taças, assim como sistema de som ponte e também dispositivo de entretenimento, com telas de TV e sistema de DVD.

Igualmente era equipado com sistema de telefonia e posteriormente de internet, além de teto solar elétrico, estofamento geral em couro, tapetes felpudos e vidros escurecidos.

É o padrão mais popular nos EUA, feito para atuar no deslocamento de pessoas importantes, além de hóspedes de hotéis, táxis executivos, companhias aéreas, corporações e empresas de turismo.

Geralmente é empregado em eventos e festas, sendo também o tipo mais locado, sendo geralmente derivado de sedãs, ainda que os SUVs tenham ganhado bom espaço nos últimos anos.

Novelty limousines

 

Já novelty é a criação de uma limousine a partir de um carro comum, não sendo esse de luxo ou muito menos sedã, tendo como proposta ser apenas um show car para eventos.

Contudo, também são locados para casamentos e festas, chamando a atenção por serem exóticos e, nesse caso, independem de marca, modelo ou ano de fabricação.

Numa novelty limousine, a “novidade” é ser diferente dos carros normais, podendo ser uma Ferrari com portas asa-de-gaivotas e com inúmeros assentos ou um Fusca com portas e lugares adicionais.

Já fizeram de quase tudo num formato novelty, inclusive a maior do mundo, chamada “Tha American Dream” com 30,5 m de comprimento, 13 eixos, 26 rodas e um heliporto.

Esse veículo de 1986 tem ainda piscina com trampolim, banheira com jacuzzi, campo de minigolfe, televisões e geladeira, entrando para o Guinness Book como o carro mais longo do mundo e hoje está num museu.

Limousine – modelos

Willys Itamarati Executivo

Primeira e única limousine produzida em série no Brasil, o Willys Itamarati Executivo foi um carro fabricado pela marca americana pouco antes da incorporação pela Ford.

Construída em parceria com a Karmann-Ghia, a Itamarati Executivo era uma limousine que entrava para um seleto grupo de nove carros feitos por fabricantes de veículos.

Sem blindagem, o Willys Itamarati Executivo tinha espaço traseiro muito maior que o sedã padrão e equipamentos exclusivos, como rádio-transmissor, televisão e velocímetro traseiro, entre outros.

Foram feitos 27 carros no período de transição da Kaiser para a Ford, onde a Willys perdeu força ao ser incorporada e a Itamaraty Executivo, que custa 4 VW Fusca, deixou sua marca na história.

Rolls-Royce Silver Wraith 

Trata-se do Rolls-Royce mais famoso do Brasil, visto normalmente no dia 7 de setembro, em comemoração ao Dia da Independência, assim como na cerimônia de posse do Presidente da República, a limousine inglesa chama atenção.

Segundo o que se conta, ele teria sido um presente dado pela Rainha Elizabeth II quando de sua visita ao Brasil em 1953, sendo o Rolls-Royce Silver Wraith produzido em 1952.

Usado desde os anos 50, o conversível Silver Wraith do governo pesa 2,5 toneladas, mede 5,65 m de comprimento, com motor de seis cilindros em linha.

Mercedes-Maybach S Pullman

O Mercedes-Maybach S Pullman é uma das limousines mais recentes feitas por um fabricante de veículos e fez sucesso na China ao ser apresentada em 2015, tendo versões S 600 e S 650.

Foi lançada com motor V12 6.0 com dois turbos, tendo transmissão automática de sete marchas e tração traseira.

Extremamente luxuosa, a limousine da então Daimler teve ainda uma versão blindada, chamada Guard, com capacidades de resistência ao impacto de armas de fogo e granadas.

Aurus Senat

A Rússia, buscando novamente a independência automotiva do Ocidente, lançou a marca Aurus e o sedã de luxo Senat para ser o Rolls-Royce local, com o governo sendo o principal responsável pelo projeto.

Para resgatar a glória soviética do ZIL-1116, o Aurus Senat ganhou uma versão limousine para o presidente Vladimir Putin, sendo este modelo blindado com nível desconhecido de proteção.

Movida por um V8 4.4 desenvolvido em parceria com a Porsche, a limousine russa tem 6,62 m de comprimento e pesa 6,2 toneladas, indicando alta capacidade de proteção, supostamente até contra um ataque nuclear.

Limousine – história

O termo limousine para veículos surgiu ainda no século XIX, mas originalmente deriva da palavra francesa limousin, o nome de uma antiga região administrativa da França.

O emprego desse nome, além da localidade, foi usado primeiramente para identificar uma capa de chuva com capuz, criada na região, que se tornou muito popular na Europa da época.

Ainda na era das locomotivas a vapor, o principal transporte terrestre da ocasião, as carruagens também se popularizaram, sendo estes veículos de tração animal portando vários estilos de carrocerias.

Muitas delas eram fechadas com o objetivo de proteger os ocupantes de chuva, neve ou intempéries, tendo também vários estilos, mas de modo geral, com estas características, foram apelidadas de limousine por cocheiros de Paris.

Esta carruagem tinha o cocheiro e seu ajudante em bancos elevados na frente, expostos ao clima, enquanto havia atrás uma cabine devidamente fechada, com janelas de vidro e portas com trancas.

O tempo passou e as carruagens foram trocadas por automóveis e, da mesma forma, os nomes usados para distinguir seus estilos, passaram para os veículos automotores.

Como os primeiros automóveis eram muito caros e feitos sob encomenda, apenas os muito ricos poderiam se dar ao luxo de ter um veículo desse na garagem.

Então, conforme o século XX avançava, os carros aumentavam de tamanho e as primeiras limousines tinham o posto do motorista e seu ajudante, abertos ao clima, protegidos apenas do vento por um para-brisa.

Atrás, bancos virados uns para os outros, levavam a família do aristocrata ou ele e seus executivos mais próximos.

Igualmente, presidentes, reis, príncipes e outros dignatários, exigiam a limousine como transporte oficial, mas foi o governo americano que iniciou essa tradição.

Logo o estilo de posto de direção descoberto saiu de moda, porém, o vidro de separação de empregado e patrão, continuou.

No entanto, o termo limousine foi logo designado para todo tipo de veículo que possuía um chofer, popularizando o termo e identificação carros que nem mesmo tinham o vidro de separação.

Já nas primeiras décadas do século XX, os “autos limousines” eram contratados para festas e casamentos, mesmo no Brasil.

Enormes, as limousines foram ganhando corpo, luxo e prestígio, mas eram geralmente construídas por encarroçadores particulares, a pedido dos clientes, modificando assim modelos de produção seriada.

O primeiro carro alongado que se tem notícia foi criado por uma empresa de ônibus chama Armbruster, nos EUA, que alongou um veículo da Ford, mas não para levar passageiros e sim para transportar famosos.

Daí, surgiu outra função da limousine, que era destacar as pessoas de prestígio que iam a bordo, sempre com carros cada vez mais longos e adaptados de marcas de luxo, como Buick, Lincoln ou Cadillac, por exemplo.

Ainda que não fosse um carro de volume, a limousine acabou sendo produzida também em fábricas de automóveis e com lotes bem limitados.

Um exemplo disso foi o Willys Itamaraty Executivo, considerado como a primeira limousine brasileira, sendo este veículo lançado em 1967.

Outros nacionais como o Ford Landau, por exemplo, também ganharam uma carroceria longa, mas nesse caso independentemente do fabricante.

Na Europa, a família real britânica utilizou (e ainda o faz) limousines derivadas de modelos clássicos da Bentley, enquanto alguns chefes de estado utilizam carros de fabricação local ou Mercedes-Benz de seis portas.

Nos EUA, modelos como o Lincoln Town Car, se tornaram limousines famosas nas décadas de 70 e 80, porém, os customizadores convertem atualmente qualquer modelo, mesmo um jipão como o Hummer.

Por lá, lugares como Las Vegas, tornam as limousines, carros extremamente populares, voltados exclusivamente para diversão.

Já na Europa, a limousine mantém seu status de carro oficial e de executivo, pois, culturalmente, diverge do americano no uso desse tipo de automóvel.

De muscle car a picapes, praticamente do tipo de automóvel pode ser convertido em limousine, inclusive conversível, com a Audi criando um Audi A3 cabrio-limousine como show car com seis portas.

Algumas extravagâncias também podem ser vistas, como jato executivo, Ferrari, Lamborghini, caminhões e carros com diversos eixos, dotados piscina e até heliporto, como se fosse um iate de luxo sobre rodas.

Hoje, a indústria de limousines movimenta milhões de dólares em todo o mundo, com construtores em diversos países, inclusive no Brasil.

Limousine – fotos

Via Notícias Automotivas https://ift.tt/rfKTpkH

from Blogger https://ift.tt/xac13pV
via IFTTT

Publicidade

Publicado por Antônio Cunha Lima

Olá, meu nome é Antônio Cunha Lima, tenho 47 anos e sou de Contagem, Minas Gerais. Sempre procuro aprender coisas novas para manter meu cargo protegido e dirigir tranquilo com minha família.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: