Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

Europa não terá combustível sintético para toda frota

A União Europeia busca alternativas para a redução das emissões veiculares e também na cadeia produtiva de combustíveis, sendo os sintéticos uma aposta para manter os motores a combustão por mais tempo e até para preservar a frota circulante do continente.

No entanto, um levantamento da Transport & Environment, apontou que a cadeia produtiva de combustíveis sintéticos é incapaz de atender a demanda europeia com gasolina e diesel feitos sem uso de derivados de petróleo.

O levantamento apontou uma situação grave, onde todos os atuais fabricantes de sintéticos, sejam eles de produção livre de carbono ou não, atenderiam somente uma fração da frota de veículos da Europa em 2035.

O cálculo aponta para apenas 5,238 milhões de veículos, sendo que atualmente a frota europeia é composta por nada menos de 287 milhões de carros.

Se considerar somente os fabricantes de combustíveis sintéticos sem emissão de CO2, o percentual cai ainda mais e o volume de carros atendidos tem um corte enorme.

“Os combustíveis sintéticos são apresentados como uma forma (neutra em carbono) de prolongar a existência dos motores de combustão”, diz Yoann Gimbert, um dos analistas de mobilidade elétrica da Transport & Environment. 

Gimbert aponta: “A chave é que os próprios dados da indústria mostram que haverá apenas o suficiente para uma pequena fração de veículos. Os legisladores devem fechar a porta a este Cavalo de Troia para a indústria de combustíveis fósseis”.

O analista diz ainda que os chamados e-combustíveis consumiram boa parte da energia usada por outros setores da economia europeia.

Deve-se lembrar que a Europa seguirá por muito tempo com baixo consumo de gás russo, podendo até mesmo ficar completamente sem ele nos próximos anos.

Isso agravaria a situação da produção de e-combustíveis que usam energia das redes nacionais, diferente daqueles que utilizam energia renováveis, como a eólica.

Contudo, a publicação diz ainda que é irreal pensar que a Europa consiga suprir a demanda com importação de sintéticos.

[Fonte: Transport & Environment via Diário Motor]

Via Notícias Automotivas https://ift.tt/cIsWlgV

from Blogger https://ift.tt/7LnvBTi
via IFTTT

Publicado por Antônio Cunha Lima

Olá, meu nome é Antônio Cunha Lima, tenho 47 anos e sou de Contagem, Minas Gerais. Sempre procuro aprender coisas novas para manter meu cargo protegido e dirigir tranquilo com minha família.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: