Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

Gol City 2003-2016: gerações, motores, preço, detalhes

O Gol City é uma versão de acesso do hatch compacto da Volkswagen que durou 13 anos no mercado nacional, tendo surgido em 2003 e encerrado a carreira somente em 2016.

Tendo passado pelas gerações G3, G4, G5 e G6 do Gol, a versão City surgiu quando a estratégia de configuração da VW, que excluía as versões do carro, deu errado.

Antes, qualquer versão do Gol G3 podia ser completamente equipada, mas depois, as versões voltaram e a City se posicionou como segundo opção na gama do compacto da VW, irmão da VW Parati.

Normalmente equipada com motor 1.0 ou 1.6 litro, o Gol City teve propulsores de duas famílias de propulsores que a VW fez no Brasil.

Simples, tinha um bom conteúdo menor, mas suficiente para atender as expectativas dos clientes desse segmento, que precisavam de um carro barato, mas que não totalmente pelado.

Gol City – detalhes

O Gol City era um carro simples, sem luxo, feito para atender quem precisava mais de um transporte para o dia a dia que um carro para o lazer, sendo um veículo robusto e com boa economia de combustível.

O City inicialmente não tinha para-choques na cor do carro, assim como também maçanetas e retrovisores eram de cor cinza, também não tendo vidros verdes, limpador traseiro ou para-brisa degradê.

As rodas eram de aço aro 13 polegadas com calotas, tendo pneus 175/70 R13, enquanto o interior tinha um painel despojado, com cluster dispondo apenas de velocímetro e nível de combustível.

Não havia sistema de áudio e nem alto-falantes, mas tinha porta-luvas com tampa, bancos em tecido e banco traseiro rebatível.

Nada de ar condicionado ou direção hidráulicas, assim como vidros e travas elétricas passavam longe dele.

Em seu último ano, manteve o motor 1.6 como opção e era um pouco mais equipado, com calotas nas rodas de aço, para-choques na cor do carro, retrovisores e maçanetas pretos e pneus 175/70 R14.

Por dentro, o cluster analógico tinha conta-giros e temperatura da água, ar condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros e travamento das portas elétrico, airbag duplo, freios com ABS, preparação para som, retrovisores com controle interno, faróis duplos, entre outros.

O Gol City foi substituído pelo Gol Trendline na geração G6 e nunca mais foi disponibilizada na gama de versões do Gol, que hoje está perto do fim de sua jornada no mercado nacional após 42 anos.

O motor era o EA111 1.0 de quatro cilindros com 65 cavalos e 9,1 kgfm, tendo este passado para 68 cavalos na gasolina e 71 cavalos no etanol, além de 9,4 kgfm no primeiro e 9,7 kgfm no segundo.

Quando o Gol City passou para a geração G5, o motor 1.0 MPI entregou 72 cavalos na gasolina e 76 cavalos no etanol, além 9,7 kgfm no primeiro e 10,6 kgfm no segundo.

Já o motor 1.6 teve uma grande mudança, sendo os Gol G3 e Gol G4 equipados com o EA827, mais conhecido como AP-1600, que entregava 92 cavalos e 13,9 kgfm.

Esse motor com tecnologia flex tinha 97 cavalos no derivado de petróleo e 99 cavalos no combustível vegetal, além de 14,1 kgfm no primeiro e 14,4 kgfm no segundo.

Na mudança de geração para o G5, o motor passou a ser o EA111 1.6 VHT de quatro cilindros com 101 cavalos na gasolina e 104 cavalos no etanol, além de 15,4 kgfm no primeiro e 15,6 kgfm no segundo, ambos a 2.500 rpm.

O câmbio passou do 013 para o MQ-200, ambos manuais e com cinco marchas, garantindo o desempenho e a economia do Gol City ao longo dos anos.

Gol City – gerações

O Gol City chegou na geração G3, tendo com elas motores 1.0 (EA111) e 1.6 (AP-1600), destacando-se visualmente pelos para-choques em cinza, ainda que o interior fosse essencialmente do Gol G2.

Com carroceria de duas ou quatro portas, o City praticamente não mudou durante essa geração do Gol, passando para a G4 com uma mudança importante, a introdução de motores flex.

Mais simples, o Gol G4 apenas enalteceu a proposta de entrada do City, sendo ainda mais espartano e popular que o anterior, mas já portando o novo painel.

Ele ainda continuava sem itens básicos de segurança, mas com a mudança de geração, esperava-se que o Gol City ficasse mais moderno, mas isso aconteceu algum tempo após a estreia do G5.

Apenas no Gol G6 é que a versão City retornou e exatamente na geração que trouxe de volta a carroceria de duas portas, algo que a terceira geração do hatch não contemplava até então.

Com airbag duplo obrigatório, freios com ABS, ar condicionado, direção hidráulica, vidros dianteiros e travas elétricas, o Gol City ainda assim não tinha limpador traseiro e sistema de áudio de série.

A Volkswagen chegou a disponibilizar o motor 1.6 VHT, restando apenas este nos últimos meses da versão, que saiu definitivamente em prol da Trendline.

Gol City – preços

  • Volkswagen Gol City 2003 1.0 – R$ 12.021
  • Volkswagen Gol City 2003 1.6 – R$ 17.086
  • Volkswagen Gol City 2008 1.0 – R$ 17.258
  • Volkswagen Gol City 2008 1.6 – R$ 21.577
  • Volkswagen Gol City 2014 1.0 – R$ 30.077
  • Volkswagen Gol City 2016 1.6 – R$ 42.989

Gol City – motor

O Gol City era equipado com motores EA111 e EA827, sendo o primeiro nas versões 1.0 e 1.6 litro, enquanto o segundo foi apenas na versão 1.6 litro do famoso AP.

O EA111 chegou ao Gol em 1997 e até 2008, apenas o 1.0 fez parte do portfólio do produto, visto que o 1.6 equipava carros como VW Golf e VW Fox, embora pudesse ser colocado no cofre dos G3 e G4.

No lugar, a VW encontrou o último descanso do motor AP, mantendo-o no Gol até 2008, entregando 92 cavalos quando só na gasolina e de 97 a 99 cavalos no flex.

O torque foi de 13,9 kgfm na gasolina para 14,1/14,4 kgfm no flex, sendo um motor muito durável e forte, considerado o melhor já feito no Brasil.

No caso do 1.0 VHT, o motor iniciou com 65 cavalos e 91, kgfm, saltando para 68/71 cavalos e 9,4/9,7 kgfm no primeiro flex.

Na mudança de geração, este passou para 72/76 cavalos e 9,7/10,6 kgfm, respectivamente.

Já o 1.6 VHT chegou atualizado ao Gol G5, tendo 101 cavalos na gasolina e 104 cavalos no etanol, com 15,4/15,6 kgfm, respectivamente.

O câmbio era sempre manual de cinco marchas, tanto o 013 quanto o MQ200.

Gol City – desempenho

  • Gol 1.0 City 2003 – 15,3 segundos e 145 km/h
  • Gol 1.6 City 2003 – 11,8 segundos e 179 km/h
  • Gol 1.0 City 2008 – 12,6 segundos e 168 km/h
  • Gol 1.6 City 2008 – 11,2 segundos e 184 km/h
  • Gol 1.0 City 2014 – 12,9 segundos e 165 km/h
  • Gol 1.6 City 2016 – 9,8 segundos e 190 km/h

Gol City – consumo

  • Gol 1.0 City 2003 – 10,0/14,0 km/l
  • Gol 1.6 City 2003 – 10,5/13,8 km/l
  • Gol 1.0 City 2008 – 7,4/9,6 km/l e 10,8/14,1 km/l
  • Gol 1.6 City 2008 – 7,1/9,4 km/l e 10,4/13,7 km/l
  • Gol 1.0 City 2014 – 7,7/9,6 km/l e 11,6/13,9 km/l
  • Gol 1.6 City 2016 – 7,3/9,4 km/l e 10,4/13,7 km/l

Gol City – fotos

Via Notícias Automotivas https://ift.tt/cIsWlgV

source https://antoniocunhalima.blogspot.com/2022/10/gol-city-2003-2016-geracoes-motores.html

Publicidade

Publicado por Antônio Cunha Lima

Olá, meu nome é Antônio Cunha Lima, tenho 47 anos e sou de Contagem, Minas Gerais. Sempre procuro aprender coisas novas para manter meu cargo protegido e dirigir tranquilo com minha família.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: