Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

CBR 1000RR Fireblade: a moto superesportiva da Honda

A Honda CBR 1000RR é uma superesportiva que já está no mercado nacional desde 2004, sendo apelidada oficialmente de Fireblade e com excelente desempenho desde sempre.

A CBR 1000RR é uma versão de pista da CBR 1000R, que não é vendida no Brasil, tendo moltor de quatro cilindros com refrigeração líquida e uma carenagem bem aerodinâmica.

O posto de topo de linha da Honda só não é completo por conta da Honda GL 1800 Goldwing, a enorme estradeira japonesa que custa muito mais.

Atualmente, a motocicleta da Honda é vendida na versão CBR 1000RR-R Fireblade SP, também conhecida como “Triple R”, uma verdadeira super bike com players de peso como rivais.

Para enfrentá-la, apenas bólidas como Ducati Panigale V4 S e BMW S 1000RR, oriundas na Itália e Alemanha, enquanto marcas nipônicas como Yamaha, Kawasaki e Suzuki não vendem rivais aqui.

CBR 1000RR – novidades

A Honda CBR 1000RR – R Fireblade SP foi lançada no mercado nacional no começo de 2022 e chegou pegando pesado, com uma performance que gerou elogios da imprensa especializada.

A Triplo R Fireblade SP – Sport Package – tem um perfil aerodinâmico que obriga até a adição de pequenas asas, assim como dutos de admissão e refrigeração de alta pressão.

Herdeira da clássica RC30, o Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP tem conjunto ótico completo em LED, suspensão dianteira invertida da Öhlins e freios Brembo com pinças Stylema.

Com relação por corrente, coroa e pinhão, a CBR 1000RR-R tem um potente motor quadricilíndrico de quatro tempos com refrigeração líquida e injeção eletrônica.

Tendo 216,2 cavalos a 14.500 rpm e 11,5 kgfm a 11.500 rpm, o propulsor da Fireblade tem câmbio de seis marchas com sistema Quickshifter, tecnologia que permite trocar marchas em alta velocidade sem uso da embreagem e sem aliviar o acelerador.

Isso permite um ganho de performance impressionante, tendo ainda rodas de liga leve forjadas, pneus semi-slick Pirelli Diablo Supercorsa.

De 0 a 100 km/h, a super bike da Honda precisa de 2,9 segundos e a velocidade final é superior a 300 km/h.

O consumo médio da Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP é de 18 km/l.

Tão avançada, a Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP tem suspensão com amortecedores Öhlins com gerenciamento eletrônico.

Também ganhou um quadro muito leve com paredes de 2 mm e com rigidez vertical e de torção aumentadas em 18% e 9%, respectivamente.

A rigidez horizontal foi reduzida em 11%, que permite assim uma pilotagem mais agressiva e fazendo com que a Fireblade tem ainda o Wheelie Control, com três modos classificados em “níveis”, assim como opção de desligamento.

Os freios, além da pinças radiais Stylema da Brembo, tem ainda o Cornering ABS, dedicado para frenagem em curvas.

Com motor de alto desempenho, o sistema de escape também não poderia diferir e o 4×1 é construído pela Akrapovič, empresa eslovena referência mundial em sistemas de exaustão para motocicletas e de carros esportivos.

A CBR 1000RR-R tem uma nova carenagem para reduzir o arrasto aerodinâmico e manter também a moto em estabilidade durante altas velocidades.

O tanque de 16,1 litros também foi reposicionado para melhorar a postura do piloto em condução esportiva.

Com três modos de condução, bem como chave presencial inteligente, a CBR 1000RR-R tem ainda o Honda Selectable Torque Control (HSTC), enquanto os freios ABS possuem modos Track e Sports.

Há também o controle de largada com limitação de giro em 6.000, 7.000, 8.000 e 9.000 rpm, ajustáveis através do cluster digital TFT de 5 polegadas, chamado Multi-Information Display (MID).

A CBR 1000RR é irmã da Honda CB 1000R, sendo a naked posicionada abaixo com visual Neo Sports Café, além de muita tecnologia embarcada.

CBR 1000RR – detalhes

A CBR 1000RR tem frente com dois faróis de LED com duto de ar de admissão forçada entre os projetores, além de para-brisa curvado sobre o cluster digital TFT de 5 polegadas.

Com carenagem envolvente, a moto mais rápida tem aberturas laterais para reforçar a aerodinâmica, assim como retrovisores com repetidores de direção, sendo estes presos na carenagem.

Tendo tanque de 16,1 litros com bocal de abastecimento de estilo aeronáutico, além de assento esportivo com apoio lombar sobre a rabeta, com lanternas em LED sob a cobertura.

A suspensão traseira em liga leve com elemento cromado, tendo disco ventilado de 220 mm com pinça Brembo Stylema e freios ABS Cornering.

O conjunto tem amortecedor Öhlins e mola com ajuste de carga, enquanto fica ao lado o escape Akrapovic com silencioso bem volumoso e verticalizado.

Com pedais recuados e semi-guidões, tendo ainda comandos para diversas funcionalidades junto às manoplas, mas com painel clicável.

Na frente, a suspensão dianteira invertida com amortecedores Öhlins com ajustes eletrônicos, assim como discos duplos ventilados com 330 mm.

Com pinças de freio Brembo Stylema são montados em estruturas radiais, tendo a roda de liga leve forçada com pneu 120/70-17, enquanto a traseira tem medida de 200/55-17.

CBR 1000RR – gerações

A CBR 1000RR surgiu em 2004 com motor de quatro cilindros, tendo 178 cavalos e pesando 176 kg, tendo o sistema HESD (Honda Eletronic Steering Damper) de amortecimento de direção.

Ela já tinha suspensão dianteira invertida e traseira monoamortecida, tendo freios com dois discos dianteiros de 320 mm, sem sistema ABS.

A motocicleta foi apelidada de Fireblade e em 2017, recebeu o Sport Package, ou Fireblade SP.

CBR 1000RR – equipamentos

Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP – Motor de 1.000 cilindradas e câmbio de seis marchas, mais suspensão dianteira invertida, suspensão traseira monoamortecida, amortecedores eletrônicos da Öhlins, freios Brembo Stylema e freios Cornering ABS.

Rodas de liga leve forjada aro 17 polegadas, pneus 120/70-17 na frente e 200/55-17 atrás, escape 4×1 da Akrapovic, lanterna em LED, faróis full LED, piscas em LED, dutos de admissão sob pressão, defletores de ar e carenagem aerodinâmica.

Injeção eletrônica, ignição eletrônica, partida elétrica, detalhes em alumínio, tampa do combustível aeronáutica, retrovisores incorporados na carenagem, cluster digital TFT de 5 polegadas, modos de condução, controle de torque e controle de wheelie.

Controle de largada, limitador de giro, embreagem deslizante com função quickshifter, discos dianteiros duplos e ventilados de 330 mm e disco traseiro de 220 mm, chave presencial inteligente, tanque de 16,1 litros, semi-guidão, entre outros.

CBR 1000RR – preços

  • Honda CBR 1000RR Fireblade 2004 – R$ 30.560
  • Honda CBR 1000RR Fireblade SP 2004 – R$ 86.984
  • Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP 2022 – R$ 175.435

(*) Preços da tabela Fipe – outubro/2022.

CBR 1000RR – motor

A CBR 1000RR tem um propulsor de quatro cilindros em linha construído numa liga leve, tendo duplo comando de válvulas com variação de abertura e fechamento de válvulas, tendo quatro válvulas por cilindro.

O propulsor foi desenhado pela Honda, em conjunto com a HRC (Honda Racing Corporation), com arquitetura que se assemelha aos modelos utilizados pela Honda na MotoGP e o Campeonato Mundial de Superbike.

O motor tem diâmetro e curso de 81 mm x 48,5 mm, respectivamente, sendo os mesmos da super bike Honda RC213V.

Já o sistema de refrigeração tem fluido de arrefecimento maior na parte superior do motor que na base, criando assim um fluxo circulatório que torna o motor mais eficiente em funcionamento térmico, além de reduzir o atrito.

O sistema de admissão tem válvulas com maior ângulo e o sistema de escape da Akrapovic com fabricação em titânio e válvula de controle de fluxo para aumentar o torque em baixa rotação.

Com tudo isso, ele entrega 216,2 cavalos a 14.500 rpm e 11,5 kgfm a 12.500 rpm, dispondo assim de muita força, aliada ao câmbio cíclico de seis marchas com embreagem deslizante e sistema de troca de marchas sem embreagem e desaceleração.

CBR 1000RR – desempenho e consumo

A Honda CBR 1000RR tem um excelente desempenho, acelerando de 0 a 100 km/h em 2,9 segundos, graças ao sistema de acelerador eletrônico com limitações de giro, controle de largada e câmbio Quickshifter.

Tendo pacote aerodinâmico de alta performance, a CBR 1000RR supera a marca de 300 km/h, garantindo assim estabilidade e controle dinâmico.

  • Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP – 0 a 100 km/h – 2,9 segundos
  • Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP – velocidade máxima – 300 km/h

CBR 1000RR – manutenção e revisão

A Honda tem um plano de manutenção e revisão para a CBR 1000RR com quilometragem especificada em manual, assim como o intervalo entre as paradas técnicas.

Nas revisões, os técnicos da Honda fazem inspeção de suspensão, freios, direção, parte elétrica, motor e câmbio, fazendo ainda um relatório com orçamento extra para troca de itens de desgaste natural.

No serviço de revisão, são trocados óleo do motor, filtro de óleo, filtro de ar, filtro de combustível, velas, líquido de refrigeração, fluido de freio, entre outros.

Já os itens de desgaste natural são compostos por pastilhas de freio, discos de freio, pneus, molas e amortecedores, assim como rolamentos e lâmpadas, entre outros.

Na rede Honda, a loja tem acessórios para moto e vestuário para o piloto, com capa para moto, capa de chuva, capacete, jaqueta, luvas, manoplas anatômicas, bauletos, entre outros.

CBR 1000RR – concorrentes

Ducati Panigale V4 S

A Ducati Panigale V4 S  é a maior rival da CBR 1000RR e tem excelente performance, sendo uma motocicleta premium e também desenvolvida com base na MotoGP e Mundial de Superbike.

Bem aerodinâmica e agressiva visualmente, a Panigale é uma superbike fabricada em Manaus e recheada de tecnologia, tendo entre outros itens, o famoso motor V4 de 90 graus com comandos desmodrômicos.

Com carenagem desenvolvida por Computational Fluid Dynamics e tendo ainda para-brisa em plexiglass, a Panigale tem uma ergonomia focada em pista e vários sistemas.

Entre as tantas tecnologias a bordo, estão ABS Cornering EVO, Ducati Traction Control (DTC) EVO 2, Ducati Slide Control (DSC), Ducati Wheelie Control (DWC) EVO, Ducati Power Launch (DPL), Ducati Quick Shift up/down (DQS) EVO 2, Engine Brake Control (EBC) EVO e Ducati Electronic Suspension (DES) EVO.

Isso sem contar com modos de corrida, esportivo e urbano, tendo ainda escape de titânio da Akrapovic, kit de embreagem de remoção rápida, tanque protegido de carbono, manoplas ergonômicas, detalhes em alumínio e rodas de magnésio aro 17 polegadas.

Spoilers, detalhes em fibra de carbono, conjunto ótico full LED, cluster digital em TFT, coroa externa, suspensão traseira monobraço, suspensão dianteira invertida, amortecedores da Öhlins, freios Brembo Stylema, entre outros, estão presentes na Panigale.

Seu propulsor V4 refrigerado a água com comandos desmodrômicos nos cabeçotes com quatro válvulas por cilindro, entregando 207 cavalos a 13.000 rpm e 12,4 kgfm a 10.000 rpm.

O câmbio de seis marchas tem embreagem deslizante com sistema de trocas sem uso da embreagem.

A Panigale vai de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos com máxima de 300 km/h, fazendo 14,5 km/l de média.

BMW S 1000 RR

A BMW S 1000 RR é uma superbike desenvolvida pela marca alemã e concorrente da CBR 1000 RR, tendo um visual pouco expressivo, suspensão dianteira invertida, suspensão traseira monoamortecida, freios a disco ventilados com pinças Brembo Stylema.

Com ABS Cornering, cluster digital de TFT com tela de 6,5 polegadas, controle dinâmico de condução, rodas de liga leve, pneus 120/70-17 na frente e 190/55-17 atrás, modos de condução, controle eletrônico de torque, embreagem deslizante, entre outros.

Há também controle de amortecimento dinâmico, assento esportivo M, freios ABS com níveis de atuação, controle de wheelie, iluminação em LED, trocas de marchas rápidas e modos de condução de corrida em três níveis.

A S 1000 RR tem os modos Rain, Race, Road e Dynamic, bem como quadro 50% mais leve que a geração anterior de motocicletas da BMW Motorrad.

Ela ainda tem uma gama de acessórios ProRace, incluindo capacete e jaqueta, além de pacote de personalização e desempenho da M Sport, com parte dos itens sendo feitos em fibra de carbono.

O motor de quatro cilindros tem 207 cavalos a 13.500 rpm, além de 11,5 kgfm a 11.000 rpm, entregando ainda câmbio de seis marchas com embreagem deslizante e trocas rápidas sem embreagem.

Ela vai de 0 a 100 km/h em 2,9 segundos e com velocidade final de 300 km/h, tendo ainda consumo médio de 15,6 km/l, que garante boa autonomia de 257 km com seu tanque de 16,5 litros.

CBR 1000RR – ficha técnica

Motor 1000
Tipo
Número de cilindros 4 em linha
Cilindrada em cm3 1000
Válvulas 4
Taxa de compressão 13,2:1
Injeção eletrônica Indireta
Potência máxima 216,2 cv a 14.500 rpm (gasolina)
Torque máximo 11,5 kgfm a 12.500 rpm (gasolina)
Transmissão
Tipo 6 marchas
Tração
Tipo Corrente e pinhão
Partida
Tipo Elétrica
Freios
Tipo Discos dianteiros de 330 mm e disco traseiro com 220 mm
Suspensão
Dianteira Garfo telescópico invertido
Traseira Balança monoamortecida
Rodas e Pneus
Rodas Liga leve aro 17 polegadas na frente e liga leve aro 17 polegadas atrás
Pneus 120/70-17 na frente e 200/55-17 atrás
Dimensões
Comprimento (mm) 2.100
Largura (mm) 0.745
Altura (mm) 1.140
Entre eixos (mm) 1.455
Capacidades
Bagageiro (L) ND
Tanque de combustível (L) 16,1
Carga (Kg) ND
Peso em ordem de marcha (Kg) 189
Coeficiente aerodinâmico (cx) ND

CBR 1000RR – fotos

Via Notícias Automotivas https://ift.tt/9xMzn6t

from Blogger https://ift.tt/Pp0qzG9
via IFTTT

Publicado por Antônio Cunha Lima

Olá, meu nome é Antônio Cunha Lima, tenho 47 anos e sou de Contagem, Minas Gerais. Sempre procuro aprender coisas novas para manter meu cargo protegido e dirigir tranquilo com minha família.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: